Tuesday, January 22, 2019

Review: AlieNation, Blackning

Posted by Redação Mondo Metal On July - 14 - 2016

 

 

Hell "Fucking" Yeah"!

Hell “Fucking” Yeah”!

 

O segundo álbum Blackning, o recém-lançado AlieNation, chegou às prateleiras com uma missão para lá de ingrata: superar o excelente Order of Chaos, debut que recebeu do Mondo Metal a nota máxima e apresentou ao Brasil o competente Thrash Metal da banda formada por Cleber Orsioli, Francisco Stanich e Elvis Santos.

 

O novo trabalho mostra que a estrada e a bagagem adquirida desde Order of Chaos rendeu bons frutos. São 10 faixas bem variadas, com a banda elevando ao máximo a criatividade e a competência instrumental. O som segue na linha do álbum de estreia: rápido, pesado e técnico com um componente que fez toda a diferença: a qualidade de gravação e masterização (que já eram boas, mas subiram um degrau no novo álbum).

 

Talvez haja sim uma grande diferença entre os dois trabalhos da banda: a maturidade musical do álbum recém-lançado. AlieNation não é um amontoado interminável de músicas bate-estaca (tão comum hoje em dia, que, verdade seja dita, também seria bom, não há problema algum), mas sim um álbum pensado, variado, e, como dito, muito criativo. Isso se vê, por exemplo, na ótima Dyed in Blood, faixa que, na opinião deste humilde escriba, é o grande destaque do álbum. Bateria extremamente técnica, ótimo uso de bumbo duplo e riffs que realmente vão ficar martelando minha cabeça por muito tempo.

 

+ Leia mais
Review: Order Of Chaos, Blackning

 

 

Destaques? Além da já citada Dyed in Blood, a faixa Street Justice, que abre o track-list é espetacular. Pesada, consistente, feita para abrir “aquela” roda de mosh nos shows e sair quebrando tudo. Sem perceber você já estará batendo cabeça, acompanhando os riffs. Thru the Eyes, a seguinte, é um rolo compressor impiedoso. Rápida e visceral, a faixa não vai te deixar parado (se é que você conseguiu se conter com a anterior). E destaco ainda mais uma, fechando a sequência de abertura: Mechanical Minds, mais cadenciada (mas não menos pesada) com riffs e solos (que solos, por sinal) em perfeita harmonia em um clima que nos remete ao Thrash Metal dos anos 90.

 

Ah, claro, não poderia deixar de citar a bela capa do álbum, à cargo do designer Marcus Zema, da Black Plague Design e o formato digipack, que, sem dúvida nenhuma, valorizaram muito o álbum.

 

+ Leia mais
Blackning: divulgada a capa do novo álbum
Blackning pronto para entrar em estúdio

 

Blackning
AlieNation
Gravadora: Vingança Music/Voice Music

01. Street Justice
02. Thru the Eyes
03. Mechanical Minds
04. Dark Days
05. Weapons of Intolerance
06. Dyed in Blood
07. Devil’s Child
08. The Rotten Institution
09. Two-Faced Liar
10. Corporation

 

A missão era ingrata, mas o Blackning conseguiu! AlieNation é rápido, raivoso, melhor que o debut e, de quebra, consolida o Blackning como uma das grandes bandas do Heavy Metal nacional. Ao infinito… e além!

 

Assista ao teaser do novo álbum

Deixe seu comentário!

Comments are closed.

Review: The First of the Listeners, Recitations

      Obscuro, sombrio e assustador! Assim podemos definir The First of the Listeners, álbum de estreia dos noruegueses […]

Review: Prologue In Death & Chaos, Death Chaos

      Curitiba sempre teve uma cena muito boa da música pesada. De lá vem dois grandes nomes do […]

Review: Once and for all, Perc3ption

      Imagine a cena: você se senta confortavelmente diante de seu computador, abre uma cerveja bem gelada (no meu […]

Review: 14 Sovereigh, Vpaahsalbrox

      Quando se fala em bandas de Heavy Metal vindas do Texas, nos Estados Unidos, de quem você […]