Tuesday, June 18, 2019

Bonecrusher: metal old-school para poucos

Posted by Redação Mondo Metal On April - 12 - 2012

 

Christiano Gomes

English version: here

 

Existe atualmente uma corrente cada vez maior de bandas de heavy metal que estão retornando as raízes da música pesada e trazendo para os dias de hoje a sonoridade e a estética dos anos 80. Bandas cujo integrantes nem haviam nascido no tempo em que Slayer, Venon, Metallica, Sepultura ou Exumer davam seus primeiros passos estão ganhando espaço e conquistando cada vez mais fãs mundo afora. A nova geração parece querer saber mais e mais sobre o que seus pais ouviam 30 anos atrás. E o Brasil já tem alguns legítimos representantes do Thrash Metal old-school como os brasilienses do Violator ou os mineiros do Dunkel Reiter.

 

É nessa onda saudosista que surge o Bonecrusher, quinteto de Belo Horizonte que aposta em um som que parece ter sido retirado de alguma garagem perdida nos anos 80. Formado por Gustavo Azazel (baixo), Welbert (vocal), Luciano (guitarra), Tino (guitarra) e Guilherme Cosse (bateria) o grupo acaba de lançar seu primeiro trabalho, um ótimo EP de cinco músicas tratado pelo grupo apenas como um demo. Guerreiro Banger foi produzido pela própria banda e apresenta um som cru, viceral, não recomendado para ouvidos sensíveis. Ao longo de pouco mais de 17 minutos, o quinteto destila um death metal corajosamente cantado em português, assim como nos primórdios da música pesada nacional.

 

É possível que a primeira audição do álbum cause um certo desconforto ao ouvinte, mas isso se justifica facilmente pois o heavy metal atual é completamente diferente do que era feito 30 anos atrás. Guerreiro Banger tem, por outro lado, o mérito de ser um disco que agrada em cheio o público que cresceu ouvindo as primeiras bandas de metal nacional. É inegável, para os mais velhos, o sentimento saudosista que há no som da banda.

 

Guerreiro Banger traz também participações importantes da cena pesada mineira como Tchescko, do Pathologic Noise, Nefastus Porphir, do In Nomini Belialis e Arcanum Arma Potens, do Dismal Abyss. Outro ponto que chama atenção é a parte gráfica do álbum, com capa bonita e encarte bem feito.

 

Formado por músicos experiêntes que viveram a fase de ouro do metal mineiro, o Bonecrusher chega para colocar seu nome na história do metal das Gerais. Quanto mais ouvimos as músicas, mais difícil fica tirar o álbum do player. Guerreiro Banger é realmente surpreendente e merece uma audição cuidadosa.

 

Bonecrusher
Álbum: Guerreiro Banger
Gravadora: Independente
Nota: 8

Deixe seu comentário!

One Response to “Bonecrusher: metal old-school para poucos”

  1. Macus says:

    Parabéns pra banda. Som muito legal mesmo

Review: The First of the Listeners, Recitations

      Obscuro, sombrio e assustador! Assim podemos definir The First of the Listeners, álbum de estreia dos noruegueses […]

Review: Prologue In Death & Chaos, Death Chaos

      Curitiba sempre teve uma cena muito boa da música pesada. De lá vem dois grandes nomes do […]

Review: Once and for all, Perc3ption

      Imagine a cena: você se senta confortavelmente diante de seu computador, abre uma cerveja bem gelada (no meu […]

Review: 14 Sovereigh, Vpaahsalbrox

      Quando se fala em bandas de Heavy Metal vindas do Texas, nos Estados Unidos, de quem você […]